Como escolher o curso no ensino superior?


Duas das decisões mais importantes da nossa vida acontecem quando temos 17 ou 18 anos. A primeira é se vamos para a universidade. A segunda é, se vamos, para que curso. Escolher o curso que tiramos influencia todo o nosso percurso profissional a partir daí, como se fosse um efeito dominó: em que tipo de empresas vamos poder trabalhar, a fazer o quê, se podemos emigrar e trabalhar na área que escolhemos. Mas, mais importante do que tudo isso, estamos a escolher o que vamos fazer para o resto da vida. É um curso que me realiza? Quero fazer isto para o resto da vida?

“O resto da vida” é uma frase demasiado dramática para alguém no fim do secundário. Por isso é que também é importante dizer que não é verdade. A escolha do curso influencia imenso a nossa vida profissional, mas ter estudado Biologia não significa que se vá trabalhar como biólogo até ao fim dos tempos. Há sempre possibilidade de fazer um realinhamento profissional, uma nova formação, obter uma especialização noutro ciclo de estudos ou pura e simplesmente explorar outros talentos. Acreditem no que vos digo: já conheci biólogos e trabalhar em Marketing. Não há impossíveis, só há improváveis.

Então, em que pensar na hora de escolher um curso?

Escolher uma área que nos realize. Escolher um determinado curso porque tem mais emprego agora não é um bom motivo para tirar um curso - o mercado está sempre a mudar e, além disso, corremos o risco de ser miseráveis para o resto da vida. Dou um exemplo: sem sobra de dúvida que a melhor skill que podemos ter hoje em dia é saber programar. Mas ninguém que não goste de programação consegue fazê-lo para o resto da vida!

Escolher um curso com uma base ampla. Alguns cursos são demasiado específicos e não permitem mobilidade no mercado de trabalho. O melhor é escolher um curso de amplo espectro, porque há mais opções ao sair da universidade e, no futuro, podemos especializar-nos em qualquer área de interesse. Por exemplo: microbiologia. É demasiado específico e as chances de encontrar emprego são reduzidas. Um curso mais amplo poderia permitir fazer uma especialização em microbiologia mais tarde, mas não ficamos comprometidos logo à partida.

Falar com pessoas da mesma faculdade e curso. Porque não falar com alguém que tenha tirado o mesmo curso e nos possa dar o seu testemunho? Saber se o curso é uma boa preparação para o mundo do trabalho é importante, por exemplo. Assim como saber se é muito prático ou muito teórico. Tentem saber quais são os pontos fortes e os pontos fracos do curso de acordo com os antigos alunos. Isso pode dar-vos uma boa noção do que esperar!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Aventuras da Maternidade - do desfralde aos lanches sem açúcar

Família ou carreira?

Onde passar este fim de semana prolongado?